Combinação tripla no tratamento de pacientes internados no hospital com COVID-19

Imagem colorida de microscopia eletrônica do coronavírus
A nova edição do periódico médico Lancet trouxe neste sábado (9) resultados "animadores" de testes clínicos com uma combinação tripla das substâncias interferon beta 1-b, lopinavir-ritonavir e ribavirin em 127 pacientes adultos diagnosticados com covid-19 e tratados em seis hospitais públicos de Hong Kong.

Entre 10 de fevereiro e 20 de março de 2020, 127 pacientes foram recrutados; 86 foram atribuídos aleatoriamente ao grupo de combinação e 41 foram atribuídos ao grupo de controle. O número médio de dias desde o início dos sintomas até o início do tratamento em estudo foi de 5 dias (IQR 3-7). O grupo de combinação teve um tempo mediano significativamente menor do início do estudo ao swab nasofaríngeo negativo (7 dias [IQR 5-11]) do que o grupo controle (12 dias [8-15]; razão de risco 4 · 37 [IC 95% 1 · 86–10 · 24], p = 0 · 0010). Os eventos adversos incluíram náusea e diarréia autolimitadas, sem diferença entre os dois grupos. Um paciente do grupo controle interrompeu o lopinavir-ritonavir por causa de hepatite bioquímica. Nenhum paciente morreu durante o estudo.

A terapia antiviral tripla precoce foi segura e superior ao lopinavir – ritonavir sozinho no alívio dos sintomas e na duração do derramamento viral e da permanência hospitalar em pacientes com COVID-19 leve a moderado. Futuro estudo clínico de uma terapia antiviral dupla com interferon beta-1b como coluna vertebral é justificado.

Por ser um estudo do tipo clínico randomizado controlado; por já envolver testes com humanos; e por ter passado pelo peer review (uma revisão independente por especialistas que não são os mesmos a assinar o artigo), trata-se de uma publicação com critérios de excelência na pesquisa científica.

O artigo, assinado por mais de 40 cientistas liderados pelo professor da Universidade de Hong Kong Kwok-Yung Yuen, mostra que a combinação tripla eliminou o coronavírus em média sete dias após o início do tratamento — tempo significativamente menor do que o grupo controle, que foi tratado apenas com lopinavir-ritonavir e precisou de 12 dias para que o vírus não pudesse mais ser detectado em teste molecular RT-PCR.

O grupo que recebeu a combinação interferon beta 1-b, lopinavir-ritonavir e ribavirin tinha 86 pacientes; e o grupo controle, 41.

Os autores também perceberam melhores resultados da combinação tripla no tempo para desaparecimento de sintomas (quatro dias, versus oito no grupo controle); e para alta do hospital (nove dias versus 14,5).

Postar um comentário

0 Comentários