Melatonina: o que é e como ela age sobre os tumores

Comprar melatonina pode ser uma boa opção para pessoas em tratamento quimioterápico. 

Estudos apontam que o hormônio age inibindo o crescimento dos tumores. Mesmo que ainda não esteja concluída, a pesquisa dá esperanças para pacientes com câncer.


Ficou interessado em saber mais sobre o assunto? Então acompanhe este post e entenda a relação entre a melatonina e as células cancerígenas.

O que é melatonina


Antes de falar especificamente sobre as questões que envolvem comprar melatonina, é preciso explicar do que ela se trata. Essa substância é produzida naturalmente pelo corpo humano e é conhecida como o hormônio do sono.

Ela age regulando o ciclo circadiano, que é um processo que consiste na regulação entre o tempo de vigília e de descanso. Durante o dia, a queda da produção hormonal faz com que nosso corpo permaneça desperto. À noite, com a diminuição da luminosidade, os índices de melatonina no organismo começam a subir, fazendo com que a pessoa passe a se sentir sonolenta e adormeça.

Melatonina x câncer


O papel oncológico da melatonina ainda está sendo analisado. Porém, os primeiros resultados das pesquisas são animadores.

Recentemente, um grupo de cientistas da Famerp e do Hospital Henry Ford — localizado em Michigan, nos Estados Unidos — anunciou que o hormônio pode ter ação inibidora na formação de vasos sanguíneos em pacientes com câncer.

Para entender a importância da descoberta, é preciso compreender o processo de angiogênese. Ela acontece quando um tumor cresce e ativa os vasos sanguíneos para se alimentar e continuar se multiplicando. A ação da melatonina seria justamente a de bloquear o surgimento desse fenômeno, evitando que o estado do paciente se agrave.

Os pesquisadores já observaram a ação positiva em cânceres de mama, de ovário, de próstata e em casos de gastrite. Os primeiros testes foram feitos em animais, por isso ainda não se sabe se o efeito será o mesmo em humanos. Contudo, os estudos continuam avançando e dão uma boa perspectiva para quem está lutando contra a doença.

Suplementação de melatonina



Além dos efeitos sobre pacientes oncológicos, a suplementação de melatonina ainda pode ser recomendada para quem precisa melhorar a qualidade do sono.


A ingestão adicional é benéfica para:
  • idosos, por naturalmente apresentarem uma queda na produção desse hormônio;
  • pessoas que trabalham em regime de escala de plantão noturno;
  • indivíduos com dificuldade para dormir à noite;
  • viajantes que precisam se recuperar do jet leg;
  • deficientes visuais, já que a baixa percepção de luminosidade inibe a produção da melatonina.

Ao considerar comprar melatonina, a dose para suplementação deve ser indicada por um médico. Em geral, os comprimidos contêm até 3 mg de melatonina. Essa quantidade é bem superior à dosagem diária produzida pelo corpo de 0,1 mg. 


Quando a suplementação é orientada por um especialista, não há risco na ingestão. As reações alérgicas aos componentes da cápsula ou à substância são bem raras. Por sua vez, pesquisas apontam que a superdosagem — ingestão diária superior a 10 mg — pode ter efeitos negativos em pessoas de todas as idades. 


Em adultos, observou-se que o excesso do hormônio causa dores de cabeça e estimula a produção de prolactina. Algumas pessoas relataram ainda que passaram a ter sonhos mais agitados durante a noite.

Já em crianças, foi notada maior incidência de pesadelos.

Assim, por mais que seja benéfica para a saúde, antes de comprar melatonina, o melhor mesmo é buscar a orientação de um médico de confiança.

Postar um comentário

0 Comentários