Algumas crianças com câncer de fígado podem precisar de menos quimioterapia

Algumas crianças com câncer de fígado podem precisar de menos quimioterapia do que a normalmente usada para tratar a doença, de acordo com os resultados de um estudo clínico de fase 3.


O estudo, liderado pelo Grupo de Oncologia Infantil apoiado pelo National Cancer Institute - NCI - EUA, incluiu crianças e bebês com o tipo mais comum de câncer de fígado na infância, o hepatoblastoma , cujos tumores foram removidos cirurgicamente quando a doença foi diagnosticada. Esses pacientes subsequentemente recebem quimioterapia para matar qualquer célula cancerígena remanescente.

O câncer de fígado é raro em crianças, e apenas cerca de um terço desses pacientes tem tumores que podem ser removidos cirurgicamente no momento do diagnóstico.

Aproximadamente 90% das crianças cujos tumores são retirados no momento do diagnóstico e que recebem quimioterapia sobrevivem à doença. Mas alguns sobreviventes desenvolvem efeitos colaterais duradouros da quimioterapia, incluindo a perda auditiva causada pela droga cisplatina .

Investigadores estavam, portanto, interessados ​​em saber se uma dose menor de quimioterapia poderia ser usada para reduzir os efeitos colaterais sem afetar a sobrevivência.

No estudo, as crianças que receberam metade da quantidade normal de quimioterapia sobreviveram tanto quanto as crianças que receberam o montante total em ensaios anteriores, relataram pesquisadores no The Lancet em 8 de abril.

"Descobrimos que quatro ciclos de quimioterapia - a quantidade padrão - não eram necessários e que dois ciclos pareciam ser suficientes", disse Howard Katzenstein, MD, da Nemours Children's Specialty Care e Wolfson Children's Hospital, em Jacksonville, FL, um dos investigadores .

O ensaio é parte de um esforço mais amplo do Children's Oncology Group e outros pesquisadores de câncer para avaliar os regimes de tratamento para crianças com câncer. 

Fonte: NIH

Postar um comentário

0 Comentários