Identificados genes ativos no DNA do câncer de prostata

O câncer de próstata localizado diagnosticado antes de ter a chance de se espalhar normalmente responde bem à cirurgia ou à radiação. Mas quando um tumor metastatiza e envia células malignas para outras partes do corpo, o prognóstico piora. Melhores tratamentos para homens com câncer de próstata metastático são urgentemente necessários. Em 2018, os cientistas avançaram em direção a esse objetivo , sequenciando todo o genoma do câncer metastático

A paisagem genômica recentemente revelada inclui não apenas os genes ativos que produzem proteínas, mas também os vastos trechos de DNA entre eles que também podem ser funcionalmente significativos. A maioria das alterações genômicas era estrutural, significando que as letras do DNA nas células eram misturadas, duplicadas ou perdidas. Uma descoberta importante foi que o receptor de andrógeno, que é um alvo para medicações hormonais usadas quando o câncer retorna após o tratamento inicial, era freqüentemente geneticamente amplificado. Isso poderia explicar por que os pacientes muitas vezes se tornam teimosamente resistentes às terapias hormonais: se o receptor de andrógeno é hiperativo, os tratamentos não podem bloquear totalmente sua atividade.

A pesquisa revelou muitos outros tipos de alterações também. Por exemplo, genes de reparo de DNA, como BRCA2 e MMR, eram frequentemente defeituosos. As células dependem desses genes para consertar o dano genético que os aflige rotineiramente todos os dias, mas com sua perda funcional, podem ocorrer alterações cancerosas. Os oncogenes dirigidos pelo câncer, como o MYC, eram comuns, assim como os genes "supressores de tumor", como o TP53 e o CDK12, que normalmente trabalham para manter o câncer sob controle.

O câncer de próstata metastático difere de um homem para outro e, da mesma forma, a frequência dessas alterações variou entre os mais de 100 homens que forneceram amostras para análise. Ao explorar os dados, os cientistas podem agora desenvolver novas hipóteses para testar e refinar estratégias de tratamento personalizadas para ajudar os homens com esta doença fatal.

Fonte: HHP

Postar um comentário

0 Comentários