Os micróbios intestinais e a luta contra o câncer

O micro bioma intestinal parece influenciar o bom funcionamento de alguns medicamentos contra o câncer.

Mas a ciência está madura para ensaios clínicos?


O câncer tem sido um florescimento tardio na revolução do microbioma que surgiu com a biomedicina. Nas últimas décadas, cientistas ligaram a composição de micróbios do intestino a dezenas de condições aparentemente não relacionadas - da depressão à obesidade . O câncer também tem algumas conexões provocativas: a inflamação é um fator que contribui para alguns tumores e alguns tipos de câncer têm origens infecciosas. Mas com o crescimento explosivo de uma nova classe de imunoterapias contra o câncer - os cientistas têm analisado de perto como o microbioma intestinal pode interagir com o tratamento e como essas interações podem ser aproveitadas.

Depois que descobertas preliminares em ratos e humanos revelaram que as bactérias intestinais podem influenciar as respostas a essas drogas, os cientistas começaram a tentar decifrar os mecanismos envolvidos. E os pesquisadores estão lançando um punhado de testes clínicos que testarão se o microbioma intestinal pode ser manipulado para melhorar os resultados.

Embora a empolgação com micróbios e imunoterapia tenha surgido apenas nos últimos três anos, alguns pesquisadores vêm explorando conexões entre bactérias intestinais e câncer por muito mais tempo. Os cientistas associaram pela primeira vez a bactéria infecciosa Helicobacter pylori ao câncer gástrico nos anos 90, por exemplo. E desde então, outras bactérias foram associadas ao início e progressão do câncer. Alguns desses micróbios ativam respostas inflamatórias e interrompem as camadas de muco que protegem o corpo de invasores externos, criando um ambiente que sustenta o crescimento do tumor. Em outros casos, eles promovem a sobrevivência ao câncer, tornando as células resistentes aos medicamentos anticâncer.

Mas as bactérias intestinais também podem ajudar a combater tumores . Em 2013, um grupo liderado por Laurence Zitvogel em Gustave Roussy e um liderado pelos imunologistas Romina Goldszmid e Giorgio Trinchieri no National Cancer Institute em Bethesda, Maryland, mostraram que alguns tratamentos contra o câncer dependem do microbioma intestinal que ativa o sistema imunológico.

Fonte: Nature
Tecnologia do Blogger.