Dia de conscientização contra a obesidade infantil

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, a obesidade infantil é um dos problemas mais graves de saúde do século XXI. Ela afeta 18% das crianças e adolescentes no mundo, número que tende a aumentar caso não haja uma mudança de hábitos urgente! 

A proposta para a criação desta data é alertar a população sobre os cuidados necessários para combater esta doença, que não é fácil de ser controlada... Muitas vezes as propagandas de determinados alimentos, a grande disponibilidade de comidas não saudáveis, baratas e atrativas e a falta de informação segura e confiável nos rótulos dos alimentos, atrapalham a ação e iniciativa efetiva dos pais e do governo para impedir a obesidade.


Mais da metade da população brasileira está com sobrepeso e 20% das pessoas adultas no país estão obesas. É o que revela o Relatório da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) e da Organização Pan-americana de Saúde (Opas) divulgado recentemente, intitulado "Panorama da Segurança Alimentar e Nutricional na América Latina e Caribe". O relatório mostrou ainda que, em 2010, 17,8% da população era obesa; em 2014, o índice chegou aos 20%, sendo a maior prevalência entre as mulheres, 22,7%. Outro alerta é quanto ao aumento do sobrepeso infantil: estima-se que 7,3% das crianças menores de cinco anos estão acima do peso, sendo as meninas as mais afetadas, com 7,7%. 

"A obesidade é uma doença crônica, cuja incidência vem aumentando progressivamente nos últimos anos no Brasil e no mundo", afirma a endocrinologista e metabologista e professora da pós-graduação em Obesidade e Emagrecimento do Instituto de Desenvolvimento Educacional (IDE) Karoline Medeiros. "O tratamento consiste em mudanças de hábitos de vida. A alimentação saudável e prática de atividades físicas devem ser estimuladas. Além disso, tratamentos medicamentos estão disponíveis e liberados que atuam reduzindo o apetite ou a absorção de gordura". 

Ela ainda destaca o fato de a obesidade comumente vir relacionada a uma série de doenças crônicas. "Dentre elas, principalmente diabetes, hipertensão arterial, dislipidemia (alterações no colesterol), doenças cardiovasculares, esteatose hepática (gordura no fígado), síndrome da apneia do sono e também problemas articulares podem surgir pelo excesso de peso", pontua. O excesso de peso pode ainda alterar diversos processo corporais. "A obesidade leva a mais indisposição e fadiga, levando a uma vida mais sedentária, gerando um ciclo vicioso. O que reduz o gasto energético b asal do organismo, ou seja lentifica o metabolismo geral", avalia ela.

Fonte: Bonde
Tecnologia do Blogger.