A incidência de demência e doenças cardiovasculares aumenta com a idade


A incidência de demência e doença cardiovascular (DCV) aumenta com a idade. A evidência atual apoia o papel tanto para aterosclerose e arteriosclerose como um terreno fisiopatológico comum para a conexão do coração-cérebro em envelhecimento. 

Aterosclerose é uma degeneração lipídica que é caracterizada por ocorrer em artérias de grande e médio calibre e é uma sequência de acontecimentos que precisa de uma lesão dessas artérias de médio e grande calibre (ex: inflamação, hipertensão arterial, infecções por bactérias promovendo esta lesão, etc). A porção ruim do colesterol, que é a LDL, entra na túnica íntima e começa a fazer estrias lipídicas que começa a formar as placas de ateroma.

Arteriosclerose é alteração hialina, ou seja, proteica. Material hialino é um material que lembra vidro. Alteração da túnica média das paredes das arteríolas, que passam a apresentar material hialino como substituto do tecido muscular liso presente nesta camada. Ela constitui um mecanismo patológico comum em indivíduo senis, diabéticos e/ou hipertensos.

Declínio cognitivo e doenças cardiovasculares compartilhar muitos fatores de risco vasculares, como o tabagismo, hipertensão e diabetes mellitus; Além disso, as doenças cardiovasculares podem contribuir para o declínio cognitivo, causando hipoperfusão cerebral, hipóxia, embolia, ou infartos. 

Demência mista, resultante de ambas as lesões cerebrovasculares e neuro-degeneração, é responsável pela maioria dos casos de demência entre os indivíduos muito idosos (≥75 anos). 

Uma acumulação de múltiplos fatores de risco, especialmente na meia-idade (40-59 anos de idade), pode aumentar substancialmente o risco de demência. A tendência de queda sugerido no risco de demência, que ocorre em paralelo com a diminuição da incidência de eventos cardiovasculares em países de alta renda, apoia o papel da carga cardiovascular na demência. 

Assim, as estratégias para promover a saúde cardiovascular, especialmente se implementada a partir de início da vida, pode ajudar a retardar o aparecimento da demência.

Como faço para diminuição dos riscos ?

Esses fatores colocam em maior risco para a aterosclerose:
  • Fumador
  • Pressão alta
  • O colesterol alto
  • Uma história familiar de aterosclerose ou doença cardíaca
  • Um estilo de vida sedentário
  • Obesidade
  • Diabetes
Então a receita passa por:
  • Parar de fumar (caso fumante),os cientistas pensam que fumar pode causar aterosclerose, pois danifica as paredes das artérias, fazendo com que seja mais fácil para a placa para construir. Fumar representa um risco ainda mais perigoso quando você tem outros fatores de risco, como pressão alta ou diabetes,
  • Controle de pressão arterial, adote alimentação saudável: pouco sal, sem frituras e mais frutas, verduras e legumes.Reduza o consumo de álcool. Se possível, não beba.
  • Fazer alterações em sua dieta. Uma dieta rica em gordura saturada e colesterol pode aumentar seus níveis de colesterol. Quando você tem colesterol alto, mais placa está disponível para forrar paredes das artérias e estreitar suas artérias,
  • Exercício físico regular. Exercícios aeróbicos regulares pode ajudar a combater a aterosclerose, reduzindo a quantidade de gordura no sangue, reduzindo a pressão arterial e colesterol, e controlar o seu peso. Nunca é tarde demais para começar a se exercitar. Caminhada rápida, natação e ciclismo são boas escolhas.

Fontes: Nature, IW e SBH

Postar um comentário

0 Comentários