Câncer de colo do útero, prevenção gera cura

O câncer de colo de útero (ou cervical) já foi uma das causas mais comuns de morte por câncer em mulheres nos EUA. Mas ao longo dos últimos 30 anos, a taxa de mortalidade do câncer cervical tem ido para baixo por mais de 50%.


A principal razão para esta mudança foi o aumento da utilização de testes de rastreio. O rastreio pode encontrar alterações no colo do útero antes que o câncer se desenvolve. Ele também pode encontrar o câncer cervical precoce - em sua fase mais curável. 

Outra forma de prevenir o câncer de colo do útero é a se vacinar contra o vírus do papiloma humano (HPV), que causa a maioria dos casos de câncer cervical.

O câncer do colo do útero, também chamado de cervical, é causado pela infecção persistente por alguns tipos (chamados oncogênicos) do Papilomavírus Humano - HPV. 

A infecção genital por este vírus é muito freqüente e não causa doença na maioria das vezes. Entretanto, em alguns casos, podem ocorrer alterações celulares que poderão evoluir para o câncer. 

Estas alterações das células são descobertas facilmente no exame preventivo (conhecido também como Papanicolaou), e são curáveis na quase totalidade dos casos. Por isso é importante a realização periódica deste exame.

É o terceiro tumor mais frequente na população feminina, atrás do câncer de mama e do colorretal, e a quarta causa de morte de mulheres por câncer no Brasil. 

Prova de que o país avançou na sua capacidade de realizar diagnóstico precoce é que na década de 1990, 70% dos casos diagnosticados eram da doença invasiva. Ou seja: o estágio mais agressivo da doença. 

Atualmente 44% dos casos são de lesão precursora do câncer, chamada in situ. Esse tipo de lesão é localizada.

Estimativas de novos casos (Brasil): 15.590 (2014 - INCA)

Fontes: ACS e INCA

Postar um comentário

0 Comentários