Câncer de mama e reconstrução mamária após cirurgia

O grande medo após o diagnóstico de um câncer é a possibilidade de uma cirurgia e, ela cause uma mutilação, retirando alguma parte de um orgão. 


No caso de câncer mamário, a retirada de uma ou mais mamas, causa um efeito devastador na autoestima da mulher. E porque ? 

Em todas as culturas, o seio feminino é símbolo de feminilidade. Seja quando evoca a mulher como fonte de vida e alimento, seja quando a evoca como fonte de prazer, afeto e aconchego. As primeiras descobertas da menina-mulher é o desenvolvimento dos seios, e é ali a primeira imagem que o bebe tem quando nasce, afinal é repositório de alimento, integração e satisfação de suas necessidades. 

Nada mais justo que colocar os seios como simbolo primeiro da mulher. Pelo outro olhar, o masculino, os seios são uma busca eterna da imagem encoberta (ou em muitos casos descoberta), talvez por isto valorizamos tanto a sua estética.

Existe uma solução para este problema, que é a cirurgia de reconstrução mamária. Passo importante para a recuperação da mulher, a cirurgia de reconstrução mamária é garantida por lei e parte determinante para a manutenção da autoestima da mulher, apesar de ainda beneficiar somente uma pequena parcela das pacientes submetidas à mastectomia (retirada total ou parcial das mamas).

De acordo com o cirurgião plástico Alexandre Mendonça Munhoz, presidente da Comissão Nacional de Reconstrução Mamaria da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, este procedimento contou com grandes avanços nos últimos anos. Novas técnicas cirúrgicas e opções de tratamento são oferecidas às pacientes, trazendo resultados cada vez mais satisfatórios.

Já escrevi aqui no blog sobre o câncer de mama e também sobre seus tratamentos. Confira em 


Postar um comentário

0 Comentários