Cancer colorretal, monitorando a saude após o tratamento

O câncer colorretal abrange tumores que acometem um segmento do intestino grosso (o cólon) e o reto. É tratável e, na maioria dos casos, curável, ao ser detectado precocemente, quando ainda não se espalhou para outros órgãos. Grande parte desses tumores se inicia a partir de pólipos (foto ao lado), lesões benignas que podem crescer na parede interna do intestino grosso.

Uma maneira de prevenir o aparecimento dos tumores seria a detecção e a remoção dos pólipos antes de eles se tornarem malignos.

Estimativa de novos casos (INCA) : 30.140, sendo 14.180 homens e 15.960 mulheres (2012).

Após o término do tratamento do câncer colorretal, o acompanhamento clínico é importante para ajuda-lo a manter sua saúde com melhor qualidade de vida, o que inclui o gerenciamento dos efeitos colaterais do tratamento e a observação dos possíveis efeitos tardios. No entanto, a razão mais importante para esse acompanhamento é prestar atenção aos sinais de uma recidiva. O acompanhamento é especialmente importante nos primeiros cinco anos após o término do tratamento, porque este é o período quando o risco de uma recidiva é maior.

O acompanhamento médico após o término do tratamento pode incluir exames clínicos regulares e outros exames adicionais para monitorar sua recuperação durante os próximos meses e/ou anos. Muitos pacientes ficam ansiosos por um período de tempo antes de reassumirem seus compromissos anteriores à doença, preocupados com a possibilidade da doença voltar. Os riscos de uma recidiva são diferentes de paciente para paciente, por isso é importante conversar com seu médico sobre a probabilidade de uma recidiva.

Fontes: Inca e Oncoguia

Postar um comentário