Cancer de figado ganha terapia com choques eletricos

Cada vez mais, as terapias contra o câncer ganham novos procedimentos e minimizam os efeitos colaterais. A utilização de choques elétricos, foi testada em pacientes com câncer de fígado na Alemanha e já dá bons resultados. A vantagem é que os choques são aplicados de forma localizada e surgem como tratamento menos agressivo. 

A intervenção não parece muito extraordinária: com uma agulha milimétrica, o médico perfura o corpo do paciente. Uma tela ao lado do cirurgião mostra o caminho a ser percorrido. No monitor, com a ajuda de um aparelho de raio-X, é possivel ver com clareza a agulha e movimentá-la com segurança até seu destino – que poderia ser, por exemplo, um tumor no fígado.

Nas mãos dos cirurgiões, a fina agulha funciona como um aquecedor de imersão: ela é aquecida por alguns instantes quando toca o tumor e as células cancerosas morrem.

Esse processo, no entanto, tem desvantagens, explica Christian Stroszczynski, diretor do Instituto de Radiologia do Hospital Universitário de Regensburg. "Às vezes, pode haver complicações, especialmente se o tumor estiver perto de vasos sanguíneos ou órgãos como o estômago." Nesse caso, o calor atinge não só as células doentes, mas também células vizinhas saudáveis, causando um efeito colateral indesejado.

Christian Stroszczynski testou o novo método em 35 pacientes com câncer de fígado – esse órgão pode ser facilmente alcançado pelas finas agulhas. "Os resultados iniciais mostram que o método foi um sucesso, bem aceito pelo corpo e de baixo risco." Estudos em outras clínicas também mostraram resultados promissores.

Fonte: DW

Postar um comentário

0 Comentários