Câncer poderá ser causado por consumo de alcool em excesso

Alcool em excesso, droga letal

O potencial destrutivo do alcool já foi relatado em várias postagem aqui (confira abaixo algumas destas postagens). Apesar de ser uma "droga" socialmente aceita e liberada, os estragos que poderá causar à pessoa e à terceiros é muito grande.



Propensão para desenvolver tumores de boca, laringe, faringe, esôfago, fígado e intestino

Segundo o Dr. Rafael Castilho Pinto, Coordenador do Centro de Prevenção do Câncer, da Clinionco, a ingestão em quantidades excessivas acelera a propensão para desenvolver tumores de boca, laringe, faringe, esôfago, fígado e intestino, pois aumenta a sensibilidade na mucosa dessas regiões. 
A associação entre álcool e câncer começou a ser comprovada nos anos 90 e, hoje, já temos evidências suficientes para considerá-lo uma substância carcinogênica. O mecanismo pelo qual o álcool provoca câncer começou a ser elucidado nos últimos anos.

Segundo o Fundo Mundial de Pesquisa em Câncer, as bebidas alcoólicas são comprovadamente associadas a tumores, como os de boca, laringe e faringe, de esôfago, de intestino nos homens e de mama nas mulheres. Além desses, há uma provável associação com o câncer de fígado e com o câncer de intestino nas mulheres.

Os mecanismos pelos quais o álcool causaria câncer começam a ser mais bem compreendidos e também é comprovada a potencialização do efeito carcinogênico do tabaco com o álcool. Onde esse mecanismo se apresenta mais evidente é nos tumores de cabeça e pescoço e de esôfago, em que as mutações do DNA induzidas pelo cigarro têm menos chance de serem reparadas nas células diante da presença do álcool, além disso, o etanol parece servir de solvente aumentando a penetração de outras substâncias carcinogênicas na mucosa desses órgãos. 

Outros mecanismos envolvidos têm relação com a deficiência de absorção de folato no intestino e na interferência de vias hormonais e de receptores estrogênicos no câncer de mama.

Por outro lado, alguns estudos sugerem que uma substância chamada resveratrol que está presente no vinho tinto em altas concentrações, poderia ser um fator protetor para o câncer. 

Algumas evidências mostram que o consumo de vinho tinto em doses baixas - um copo para mulheres e dois para homens (até 30g/ dia) - poderia ter um efeito protetor na formação de câncer, exatamente em tumores associados ao álcool em outros estudos, como os tumores de esôfago, intestino e mama, assim como teria influência na diminuição do risco de doenças cardiovasculares, como o infarto.

Sendo assim, não temos uma definição científica exata sobre todas essas questões, mas com certeza sabemos que o álcool em doses excessivas - mais de 30g/dia - é prejudicial à saúde, além de poder causar vício e levar ao alcoolismo. Por essas razões, não recomendamos que alguém inicie a beber. 

O papel da família e dos amigos em não incentivar o uso precoce de álcool nos adolescentes, assim como auxiliar no momento de largar o vício é essencial no controle e prevenção do alcoolismo.  E sempre lembramos que se beber, não dirija, pois esse é o principal fator de risco para a mortalidade associado às bebidas alcoólicas.
Fonte: Clinionco

Postar um comentário

0 Comentários