Entendendo o câncer na gravidez

 Por Dr. Luiz Guilherme*

"Quando nos deparamos com o aparecimento de um câncer durante a gestação, a situação é encarada, em um primeiro momento, como não sendo compatível. Enquanto a gestação é sinônimo de uma vida chegando, o câncer ainda está vinculado a uma simbologia de não vida, adoecimento e morte.

Nesta hora, a construção de uma plataforma de equilíbrio é indispensável para se conseguir uma sustentação, um suporte pessoal e emocional de si mesmo e das pessoas mais próximas. Caso contrário, isso passa a ser percebido como uma cascata de incertezas e temores crescentes.

Dentre os tipos de cânceres identificados durante a gravidez, o câncer de mama é o mais frequente, em quase 50% dos casos, seguido pelos linfomas/leucemias agudas, em aproximadamente 27% dos casos.

Tendo como foco as mulheres com câncer de mama, torna-se fundamental a identificação da fase ou o trimestre da gravidez em que a paciente encontra-se. A maior restrição ocorre no primeiro trimestre, que é o período mais delicado para o feto.

A segurança para o complexo materno-fetal no segundo e terceiro trimestre já é conhecido. Contudo, não se contempla o aleitamento materno nas pacientes que receberam citostáticos, bem como se sugere a ablação láctea. A maioria dos partos é programada por interrupção e, em grande parte, se faz cesariana."

 * médico oncologista do grupo COI.

Fonte: Grupo COI

Postar um comentário

0 Comentários