Não vamos falar de morte e sim de vida

Vamos falar de morte? acho que a grande maioria não gostaria, mas em um blog que defende a vida, dando dicas de saúde e prevenção, será que a morte é um tema prescrito? Não absolutamente.

Quando o diagnóstico é câncer, a associação com a morte é instintiva e quase instantanea, mas lembramos em todas as nossas postagens, que há muitos recursos, de conhecimento (ciência e tecnologia) e financeiros envolvidos, isto nos traz muitas esperanças. Para ficar mais claro vamos ser bem claros e objetivos, citando dois exemplos de "famosos" no Brasil e EUA que venceram a doença e são exemplos para vários anônimos que ainda sofrem com a doença.

Reinaldo Gianecchini (que já teve artigo falando de sua doença aqui no blog) está participando (vídeo abaixo) da campanha da Associação Brasileira de Linfoma e Leucemia, democratizando o conhecimento sobre  o melhor tratamento a todos os pacientes com câncer do sangue (linfoma, leucemia, mieloma múltiplo e mielodisplasia).

Veja o video, entre na campanha


Vamos a exemplo norte-americano, bem em tempos de Super Bowl. Mark Herzlich era um linebacker destaque do Boston College poucos anos atrás, quando ele começou a acordar de noite com dor grave. Assumindo que o desconforto era um efeito prolongado de jogo duro durante a temporada, o nativo de Pensilvânia não dar-lhe um segundo pensamento. 

Quando a perna de Herzlich começou a inchar, no entanto, os médicos descobriram um tumor que estava completamente envolvido na perna esquerda, e ele passou de um jogador de futebol a um paciente com câncer. 

Dado que com apenas 60-70 por cento de chance de sobrevivência - presumindo que o câncer não se espalhasse - Herzlich estava com medo, não só para sua carreira no futebol, mas também para sua vida. 

Foi-lhe dito que ele nunca voltaria a andar, muito menos pisar um campo de futebol. O dia em que ele foi diagnosticado, porém, Herzlich disse a seu pai: "Pai, eu vou fazer isso, e eu estou indo jogar futebol de novo."

Herzlich nunca desistiu, e voltou ao campo para sua última temporada no Boston College menos de um ano depois.

E agora eu pergunto: Vamos falar de morte ou exemplos de vida e superação? Eu fico com a vida e vocês?

Fontes: ABRALE e The Hoya
 

Postar um comentário

7 Comentários

  1. Respostas
    1. Olá Liliana

      Então seguimos falando da vida...

      Abraço e obrigado pelo comentário

      Excluir
  2. Geraldo, eu admiro tanto mas TANTO o Reinaldo Gianecchini que se o visse na rua ia dar um abraço nele. Um homem de muito valor! Como me agrada ver todas as fotografias que ele está envolvido para levantar a confiança naquele que está doente, especialmente quando se fala de crianças.

    Parabens amigo por esta materia. Falemos da VIDA porque é nela que estamos e tem tanto para ensinar... é bela, é bela... BEIJOS

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Fadinha,

      Fiz questão de colocar casos notórios de famosos vencendo a doença.. todos guerreiros mostrando como vencer o maior desafio de suas vidas..

      Abraço e obrigado pelo comentário

      Excluir
    2. Geraldo, eu admiro profundamente este ator!

      beijos

      Excluir
  3. Compartilhei em todos lugares possiveis: Facebook, Twitter e G+.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mais uma vez obrigado Fadinha, sua presença é sempre um alento...

      Abraço

      Excluir

Obrigado por comentar!! Volte Sempre!!