Medicamento anticonvulsivo pode ajudar no cancer de iris

Um medicamento comumente usada no tratamento de convulsões parece tornar tumores oculares com  menos probabilidade de crescer, e se espalhar para outras partes do corpo (metátases), de acordo com pesquisadores da Washington University School of Medicine em St. Louis. 

Um olhar sobre células de melanoma uveal agressivo sob o microscópio.(Crédito: J. William Harbour, MD)

O Melanoma da úvea (ou íris), a parte colorida ( e vísivel) dos olhos, a segunda forma mais comum de melanoma, pode ser muito agressivo e  desenvolver metástase, do olho para outros órgãos, especialmente o fígado, através de quantidade microscópica do cancer que espalha, e dificulta o diagnóstico pelo espaço de tempo que podem ficar "adormecidos" nos orgãos antes de se desenvolverem, às vezes por vários anos, antes de ser tornarem letais.

O novo estudo utilizou medicamentos chamados de inibidores de histona desacetilase (HDAC) que alteraram a conformação do DNA numa forma agressiva do melanoma uveal, que muda a forma como os principais genes são expressos, tornando as células do tumor menos agressivas.

"Observámos as células do melanoma uveal em laboratório e num modelo animal, e descobrimos que os inibidores de HDAC podem bloquear o crescimento e proliferação das células tumorais", disse o principal investigador do estudo, J. William Harbour, M.D., acrescentando que "inibidores HDAC parecem reverter a assinatura molecular agressiva".

Uma vez que os inibidores de HDAC já estão no mercado, Harbour diz que acha que pode ser possível começar a testar o medicamento em pacientes com formas agressivas de melanoma uveal nos próximos seis a 12 meses.

Os medicamentos têm efeitos colaterais relativamente leves que não são tão graves como aqueles observados em pacientes submetidos à quimioterapia. Um inibidor HDAC, é o ácido valpróico (utilizado para epilepsia e transtorno bipolar de humor). Seu efeito colateral mais comum é a sonolência, o que é típico de todos os inibidores de HDAC.

O melanoma da úvea (ou melanoma uveal) ocorre na íris, corpo ciliar e na coróide. É a neoplasia maligna intra-ocular primária mais frequente no adulto. A etiologia permanece em grande parte desconhecida, mas vários factores têm sido associados a risco aumentado de desenvolvimento de melanoma uveal.

Postar um comentário

2 Comentários

  1. Geraldo, muitos medicamentos estão sendo analisados por poderem ajudar de outra maneira, tornando mais eficaz sua existencia. Exemplo, a aspirina.

    Quando leio seus artigos é que me dou conta que cada pedacinho do nosso corpo é tão vulneravel às ações da genetica e dos maus habitos.

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Sobre meu post, a respeito da indiferença: Geraldo,

    Não me salva, porque eu sofro... eu não sou mais deste mundo.

    Beijos

    ResponderExcluir

Obrigado por comentar!! Volte Sempre!!