Surgirá uma nova categoria de carnívoros?

Por tradição cultural e familiar sou carnívoro, tenho amigos vegetarianos. Nunca fui e nem irei a matadouros. Não radicalizo opiniões, não polemizo. O consumo de carne é feita de maneira frugal, mas não indispensável.

Essa semana dei uma olhada na matéria da Folha.com chamada "Carne do futuro poderá ser produzida em laboratório" :

"A produção de carne futuramente dependerá mais das provetas do que dos bovinos, ou pelo menos assim pensa o biólogo Vladimir Mironov, que espera colaborar com a solução para a crise alimentar mundial em seu laboratório da Carolina do Sul (EUA).

O biólogo, de 56 anos e seu colaborador  Nicholas Genovese, de 32 anos, trabalham em um laboratório de dimensões modestas, mas com tecnologia de ponta, na Faculdade de Medicina da Universidade da Carolina do Sul (EUA), espera que a criação do bife artificial aconteça em breve, apesar de atualmente o processo de "cultivar carne" em laboratório ser longo e complexo.

Há 10 anos, Mironov obteve uma bolsa da Nasa, agência espacial americana, para tentar concretizar o sonho de "cultivar carne". No entanto, atualmente os trabalhos do cientista não são mais financiados pela agência que, segundo ele, passou a priorizar a pesquisa sobre as plantas transgênicas como fonte alternativa de proteínas. O trabalho de Mironov e Genovese segue adiante graças ao financiamento de três anos da organização de defesa dos animais Peta

Logo pensei nas minhas experiência com bife de soja há 20 anos atrás : foi um desastre. Será que com esta nova variação da carne terei sucesso? Talvez seja um meio termo para meu consumo carnivoro, ainda mais que teria a chancela da Peta. A ciência é pródiga em novas tecnologias, mas a reação será forte se o experimento vingar. 

Não só de pecuaristas, como de carnivoros tradicionais que embuidos no seu radicalismo "purista" não trocarão a costela gorda ou picada, por uma carne "artificial".

Gostaria claro que esta nova janela da ciência fizesse a diferença em nossos pratos, ainda mais sem "culpa" de degustar um suculento bife ou uma picanha na chapa.

Postar um comentário

2 Comentários

  1. Geraldo, nao sei se isso é saudavel... já não são as atuais carnes cheias de hormonios... a medida que o tempo passa, para mim, como menos, menos quantidade de tudo e muito menos carne. Não tenho sentido tanta falta como acontecia no passado.

    Bjs

    ResponderExcluir
  2. Olá amigo Geraldo!
    Se a "carne cultivada" tiver o mesmo sabor e não implicar em problemas a saúde não vejo mal nenhum em colocá-la no espeto na próxima churrascada. ;-) rs
    Abraços, Fernandez.

    ResponderExcluir

Obrigado por comentar!! Volte Sempre!!