Pesquisa científica ; política e mérito

Hoje em dia falar de descobertas cientificas é um tanto complexo, já que não sabemos a real utilidade da utilização do método científico, conforme a definição abaixo:

"A palavra método vem do grego μέθοδος (méthodos, caminho para chegar a um fim). O método científico é um conjunto de regras básicas para desenvolver uma experiência a fim de produzir novo conhecimento, bem como corrigir e integrar conhecimentos pré-existentes. Na maioria das disciplinas científicas consiste em juntar evidências observáveis, empíricas (ou seja, baseadas apenas na experiência) e mensuráveis e as analisar com o uso da lógica. Para muitos autores o método científico nada mais é do que a lógica aplicada à ciência.

Metodologia literalmente refere-se ao estudo dos métodos e, especialmente, do método da ciência, que se supõe universal. Embora procedimentos variem de uma área da ciência para outra (as disciplinas científicas), diferenciadas por seus distintos objetos de estudo, consegue-se determinar certos elementos que diferenciam o método científico de outros métodos (filosófico, algoritmo – matemático, etc.)."  (Fonte : wikipédia)

Para entender como pesquisas com amostras pequenas são publicadas em revistas cientificas como a Science , falei com um cientista, especialista em fotoluminescencia (¹) (termo geral que designa a transformação de outros tipos de radiação em luz  ). Ele explicou que no meio cientifico, as publicações obedecem duas politicas : uma de interesse público (como novos medicamentos,  por exemplo) e outra de interesse politico (dependendo da influencia do instituto ou do pesquisador junto a comunidade cientifica).

Assim, poderiamos explicar porque pesquisas com amostragem pequena (ou irrelevante) são publicadas e repercutem até entre a população leiga.

The Austrian Chemist Fridrich ReinitzerBotânico Friedrich ReinitzerJá tivemos casos de pesquisas falsas que depois foram desmentidas e/ou desacreditadas pela falta de replicação em outros locais.  É só lembrar do cientista sul coreano que falsificou dados que levavam a clonagem humana. 
Então, algumas pesquisas podem ser inconsistentes e outras são apenas o inicio de um novo conhecimento.  Se você caro leitor, tiver a consciencia que o primeiro cientista que falou sobre cristal liquido foi o botânico austríaco Friedrich Reinitzer em 1888, quando ele observou a existência de dois pontos de fusão no benzoato de colesterilo, enquanto estudava a função do colesterol nas plantas.
 
Em seguida, o Físico alemão Otto Lehmann chegou a conclusão de que a tal substância era um líquido homogêneo, mas que o seu comportamento na presença de luz polarizada era igual ao comportamento de um cristal, o que originou a denominação "Cristal Líquido".

O químico alemão, Daniel Vorlander, após estudar as características moleculares da substância, concluiu que ela tinha uma tendência de formar uma fase líquido-cristalina e também verificou a possibilidade de obter outras substâncias com características de cristais líquidos. Depois disso, o estudo sobre os cristais líquidos muito se desenvolveu e encontrou inúmeras aplicações. (²)

E agora vamos para a reflexão, vou tem ou gostaria ter um monitor ou televisão de LCD? Será que a repercussão da descoberta (hoje inclusa em nossa vida digital) foi a mesma que nos maravilha com sua praticidade nos dias atuais?

O tempo e utilidade da pesquisa que nos mostrará se ela serviu para interesses pessoais  ou para beneficio da população. Aguardemos...

Referencias:

(¹)  - Biomania - Luminescencia

(²) - Centro de Referencia Virtual do Professor - Cristal Liquido

Postar um comentário

0 Comentários