O preconceito, atos hostis e covardias

ImaginationImage by de Paula FJ via Flickr
O mundo anda caótico, são tantos os casos de preconceitos em suas mais acepções : opção sexual, raça, religião, politica, futebol. O tipo que antes antes era demonstrado ao vivo (ou nem sempre) agora toma conta das redes virtuais : orkut, twitter, facebook. Hoje, muitas pessoas não admitem que são preconceituosas, mas basta um episódio para disparar o gastilho. 

Este artigo seria demasiadamente longo se relatasse todos os preconceitos e suas ocorrencias, mas vou me ater a episódios da semana passada e citar o do pós eleição.

Episódios como o do sargento baleando um homossexual no Rio após a parada gay em Copacabana,  jovem agredindo um jovem em São Paulo na Avenida Paulista por ele ser homossexual. Estudante paulista agredindo a dignidade e incitando a violência contra os nordestinos no Twitter, isto sem contar a mulher iraniana permanentemente ameaçada de morte pelo regime autoritário do Irã. No Rio Grande do Sul, são recorrentes as vezes que a noticia de que são desmanchados grupos de neonazitas que suas mensagens de intolerância racial e violência presumida e assumida.

Para entender melhor minha opinião sobre este assunto e ampliando ele, recomendo a leitura do meu artigo : O cinismo e os efeitos na busca da verdade

Talvez não seja a melhor maneira de começar uma segunda feira ou a semana, porém a reflexão é necessária

Postar um comentário

3 Comentários

  1. Grande Geraldo da reflexão sempre é necessária, entretanto devemos assimilar algumas coisas, todos nós, um pouco mais um pouco menos temos um certo grau de preconceito sobre alguma coisa ou outra, até por vezes como meio de defesa. Entretanto em vezes de assumirmos isto e tentar arrumar formas para amenizar, muitos simplesmente "fazem de conta" que não são para serem politicamentes corretos e acabam sem mais nem menos deixando estravazsar isto por intermédio de uma violência descabida.

    ResponderExcluir
  2. Geraldo, eu sei o que é preconceito. Ele se manifesta de várias maneiras e sejam quais forem, sempre são nocivas. A minha familia materna foi dizimada por causa desta doença humana. Eu fui discriminada por parte da familia de meu marido, a troco de nada. Então eu sei o quanto dói.

    É sempre mais do que necessário falar sobre este tema, nunca se esgota.

    ResponderExcluir
  3. Olá Geraldo!
    Infelizmente vivemos cercados pelo preconceito, não importa em qual nível ele esteja. O fato das pessoas não saberem lidar com as diferenças que compõem o mundo, faz com que ajam com estranheza e hostilidade diante do que lhes parece fora dos padrões estabelecidos e convencionados.
    Mundo insano que temos que, duramente, aprender a viver.
    Grande abraço!
    Jackie

    ResponderExcluir

Obrigado por comentar!! Volte Sempre!!