E a sua voz como está?

ecletticaImage by destino2003 via Flickr
Uma das caracteristicas mais importantes de um blog pessoal é poder dar opinião, até porque reflete personalidade nos teus artigos. Claro que a parte importante de todo blog é visitas e comentários dos leitores. Nem sempre nos impressionamos quando vamos pela primeira vez ao um blog, mas pela qualidade do texto, do conteúdo, da indicação ou principalmente dos comentário, poderemos fazer juizo de valor sobre o autor e suas propostas.

As relações entre autor/leitor/comentaristas nem sempre são amistosas, até por que pessoas que não gostam dos artigos do blogueiro insistem em querer pautar os assuntos do blog, poderá gostar de vários artigos (ou de nenhum) que a critica é pesada e muitas desrespeitosa.

Nada pior que alguém comentar que teu artigo tem um monte de bobagens, mesmo que os comentários de outros leitores digam ao contrário.

Vamos a exemplos concretos: esta semana Carl Sagan, brilhante cientista, pioneiro da explicação simples dos fenômenos da origem do universo, com sua série Cosmos, faria 76 anos. Um blogueiro bem famoso fez uma postagem em homenagem a este pioneiro. Foram mais de 80 comentários favoráveis ao texto e lá pelas tantas um leitor fez uma critica sem sentido e sem foco, estava ali para criticar o blogueiro, o cientista, a série, afinal não gostava de nada.

Então para que visitou o site e leu o artigo? Se não te interessa, ignora.

Mas cadê o motivo de tanta fúria? É o famoso não li, não gosto ou li não gosto do assunto, do autor e de tudo que ele escreve.

Seria tão simples se todos tivessem pensamento único, assunto único e não falar das más noticias ou as discordantes do leitor.

E não poderia falar mais uma vez na falta da qualidade do ensino público no Brasil, afinal é de graça, e de "cavalo dado, não se olha os dentes"

Não poderia falar da deficiente rede de saúde pública, afinal estamos muito bem servidos de hospitais em todo o território nacional, não tendo assim a ocorrencia de mortes nos rincões mais afastados de nosso enorme país.

Não me importaria com a falta de qualificação da mão de obra especializada, que em muitos lugares, há vagas demais para qualificação de menos.

Tudo isto não importa quando o pensamento é único..
 
Então a minha voz pedindo qualidade e respeito no ensino público, na saúde e na pseudo-segurança pública que temos.

Sim, uma voz não pode levantar-se contra isto, afinal é bobagem falar mal de nosso país.

O texto abaixo é um clássico relato de nossa inércia, querem calar nossa voz e fazer dela uma caricatura dela mesma. É atribuido a Sandra Cavalcanti, deputada federal constituinte, secretária de Serviços Sociais no governo Lacerda, fundadora e presidente do BNH :

"Em 14 de de abril de 1930, aos 36 anos, Vladimir Maiakóvski, o maior poeta russo da era contemporânea, deu um fim trágico à sua atormentada vida. Matou-se porque perdeu toda a esperança e se viu diante de uma estrada sem saída.

Sua obra é absolutamente revolucionária, como revolucionárias eram as suas idéias. Mas o poeta, dizia ele, por mais revolucionário que seja, não pode perder a alma!

Ele acreditou piamente na Revolução Russa e pensou que um mundo melhor surgiria de toda aquela brusca e violenta transformação. Aos poucos, porém, foi percebendo que seus líderes haviam perdido a alma.

A brutalidade crescia. A impunidade era a regra. O desrespeito às criaturas era a norma geral. Toda e qualquer reação resultava em mais iniqüidades, em mais violência. Um stalinismo brutal assolou a pátria russa. Uma onda avassaladora de horror e impotência tomou conta de seu espírito, embora ainda tentasse protestar. Mas foi em vão. Rendeu-se e saiu de cena.

Em 1936, escreveu Eduardo Alves da Costa o poema No caminho com Maiakóvski, que resume sua desoladora tragédia. "... Na primeira noite eles se aproximam/ e roubam uma flor/ de nosso jardim./ E não dizemos nada./ Na segunda noite, já não se escondem:/ pisam as flores,/ matam nosso cão,/ e não dizemos nada./ Até que um dia,/ o mais frágil deles/ entra sozinho em nossa casa,/ rouba-nos a luz e,/ conhecendo nosso medo,/ arranca-nos a voz da garganta./ E já não podemos dizer nada."

Postar um comentário

4 Comentários

  1. Grande Geraldo, é assim mesmo, a discordância faz parte do processo, entretanto muitas pessoas não sabem discordar, acreditam que a discordância por vezes é algo pessoal, não está comigo está contra mim ....ainda não conseguimos discutir no campo de idéias em muitas coisas .... e as relegiões estão ai pra provar isso, as vezes o mesmo Deus e quanta discórdia.

    ResponderExcluir
  2. Geraldo, quantos blogs e sites existem somente em lingua portuguesa?! Pois é, podemos escolher o que ler, onde comentar, e não perder tempo com o que não nos agrada. Falar mal do que uma pessoa produziu é como ser visita mal educada, que entra na casa do anfitrião e na cara dele cospe tudo!

    Genial a observação que vc colocou com referencia a Vladimir Maiakóvski e Eduardo Alves. Por acaso, certa vez, eu li justamente este poema e achei perfeito.

    Bjs

    ResponderExcluir
  3. Olá Geraldo!!

    É um assunto bem pertinente para entendermos que o nosso próprio corpo nos mostra limites, e também que nos tempos atuais sabemos bem que revolução, guerra e autoritarismo, só destroem deixando um eco que passa a corroer todos os envolvidos, provocando sempre uma repercussão do mal acometido e repetindo na sequencia, tornando um caos interior refletindo fora. É preciso sim saber os limites, os direitos e deveres e é por isso que a ética é uma forma inteligente de garantir num todo a melhora dos relacionamentos, pois entendemos que somos criaturas e que há um poder maior em nós e todos estamos aqui para respeitar e isso só se consegue com entendimento dos limites que nos fazem responsáveis na liberdade de ir e vir. Que possamos saber que temos nossos grupos e que cada um tem suas escolhas e é por isso que existe tantas diversidades no mundo, para aprendermos a aceitar as diferenças seguindo cada qual o seu próprio desenvolvimento em favor do bem. Muito bom compartilhar aqui no seu cantinho!

    Um abraço,
    "Todo o Conhecimento é Luz que Inspira a Alma" -*Vera Luz

    ResponderExcluir
  4. Oi Geraldo

    Muito pertinente seu texto, é muito facil para as pessoas falarem mal, insultar algo que não gosta, mas porque nao faz algo realmente construtivo e de transformação.
    Quando eu nao me interesso por algum assunto eu prefiro nem ler o post, e posso até ler e nao gostar, mas vou colocar meu ponto de vista e questionamentos, mas nunca insultar e nem xingar o outro, acho que temso que ter respeito as diferenças.

    Bjs no coração

    ResponderExcluir

Obrigado por comentar!! Volte Sempre!!