Admirável mundo do cérebro, novas descobertas

A neurofisiologia é um ramo da fisiologia que tem como objeto o estudo do funcionamento do sistema nervoso. Faz parte do campo científico denominado neurociência, explicação introdutória necessária para uma importante descoberta nesta área fantástica.
Foto: Riccardo Cassiani Ingoni/SPL 
Quem ainda não se maravilhou com a máquina fantástica que é o cérebro? Pois novas descobertas afetam a compreensão de como o ele processa os mecanismos da respiração, o interessante que com o estudo revelado por Miriam Franke, em seu artigo na revista Nature : "Lufada de ar fresco para as células 'cola' do cérebro - Os astrócitos podem ter um papel importante na regulação da respiração."

Um tipo de célula cerebral que seria responsável por apoiar as outras células podem ter um papel previamente insuspeitas em  controle respiratório.

As células em forma de estrela chamadas astrócitos, (foto ao lado) encontrada no cérebro e medula espinhal, e as alterações podem ter "sentido" na concentração de dióxido de carbono no sangue e estimulam os neurônios para regular a respiração, de acordo com um estudo publicado on-line em Ciência hoje1. A pesquisa pode lançar alguma luz sobre o papel dos astrócitos em certas doenças respiratórias, tais como morte súbita, que não são bem compreendidos.

Os astrócitos são um tipo de células gliais - o tipo mais comum de células do cérebro, e muito mais abundantes que os neurônios. "Historicamente, as células gliais só foram pensados para" cola "do cérebro em conjunto, fornecendo a estrutura neuronal e suporte nutricional, mas não mais", explica o fisiologista Alexandre Gourine da University College London, um dos autores do estudo.

"Este velho dogma está mudando dramaticamente; alguns estudos recentes têm mostrado que os astrócitos podem efectivamente ajudar os neurônios para processar informações."

"O aspecto mais importante deste estudo é que ele vai alterar significativamente as idéias sobre como a respiração é controlada", diz David Attwell, neurocientista da University College London, que não esteve envolvido no estudo.

A matéria completa deste assunto poderá ser lido na edição digital da Naturenews, clicando aqui .

Referencia:

1Gourine, A. V. et al. Science advance online publication doi: 10.1126/science.1190721 (2010).

Postar um comentário

1 Comentários

  1. Geraldo, fantastico ler essas coisas, fico impressionada, pq realmente o cerebro é um mundo! Cheio de misterios e segredos, já se sabe muito, mas nao tudo.

    Bjs

    ResponderExcluir

Obrigado por comentar!! Volte Sempre!!