Há algo de podre nas relações sociais e virtuais

“Há algo de podre no reino da Dinamarca”

No célebre romance de Shakespeare, Hamlet, após perceber e afirmar que havia “algo de podre no reino da Dinamarca”, passou a fingir-se de louco incapaz de compreender o que se passava ao seu redor, no intuito de meramente não ser eliminado e poder sobreviver. No final do romance, Hamlet consegue eliminar o seu cruel algoz, embora não tenha sido capaz de sobreviver porque seu algoz foi capaz de, antes de morrer, feri-lo de raspão com uma espada embebida em veneno mortal.

Vejam os tempos que vivemos, mesmo o autor é hoje uma duvida, e continuamos assim visto a probreza das nossas relações, muitas delas frias, distantes e superficiais. Houve um tempo em que o homem tinha sua dignidade e salvo tragédias maiores, nada a abalava.

Como ratos em naufrágios, muitas pessoas acabam por "pisar" metaforicamente ou realmente, por um lugar ao sol.

Visibilidade? Querem aparecer, destacar-se, ser alguém justifica qualquer atitude?

Estas situações que muitas vezes beiram o grotesco, estão prestes a mostrar sua verdadeira cara com a proximidade das eleições.

Candidatos que repaginam o rosto, o discurso e o passado para serem dignos da confiança de seus "eleitores".

Lembro-me que em 1977 quando o filme Star Wars - Episódio IV - Uma Nova Esperança, mostra-nos uma visão maniqueísta do mundo entre Darth Vader e Imperador contra Obi Wan Kenobi e Luke Skywalker, somos jogados para uma questão complexa de escolhas.

O jovem e talentoso cavaleiro Anakin Skywalker é seduzido pela promessas de poder do Senador Palpatine.

Hoje existem muitos Anakins e vários Palpatine por ai, querendo ser elevados a condições de ungidos dos eleitores.

Para isto acabam adotando duas caras, a falsa (que aparece em época de eleições) e a real (que quer distância dos "eleitores").

Isto sem contar a turma que prefere dizer que nada existiu antes dele, como a velha expressão :

"Antes de mim, o dilúvio"

Postar um comentário

2 Comentários

  1. É amigo... adorei a comparação com o romance de Shakespeare.... se formos analisar a obra dele na sua totalidade, ficaremos abismados de como ela ainda é atual....
    Beijo no coração

    ResponderExcluir
  2. Bem apontado, amigo. Eu tenho assistido os debates nas emissoras, acompanhado em vias impressas, quanto mais vejo, mais fico chateada com o futuro próximo, quando, por equivoco do povo que se ilude, vir ao "trono" mais uma péssima escolha.

    ResponderExcluir

Obrigado por comentar!! Volte Sempre!!