As Masmorras e o IDH

As condições de prisões brasileiras serão discutidas em Genebra, Suiça pelas péssimas instalações e pela falta total de humanidade no trato dos ali encarcerados. As prisões são consideradas "masmorras" , na  definição livre da Wikipédia : "Tipo de prisão, que normalmente se situa em pisos inferiores (como caves) e que tinha como função reter prisioneiros, muitas vezes por longos períodos. Eram muito utilizadas até ao tempo da Revolução Industrial, altura em que se começou a ter mais cuidados e dignidade para com os prisioneiros."  

Esta dignidade falta no Brasil, especificamente no estado do Espirito Santo, onde as atitudes do governador Paulo Hartung serão discutidas num painel paralelo à reunião do Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas

Na reunião de Genebra estará dispónível um "Dossiê" sobre a situação prisional do Estado do Espírito Santo . Tem umas 30 páginas e oito fotografias que ficarão cravadas na história da administração de Hartung. Elas mostram os corpos esquartejados de três presos. Um numa lata . Outro em caixas e uma cabeça dentro de um saco. Todos esses crimes ocorreram durante sua administração. Desde a denúncia da fervura de presos no Uzbequistão o mundo não vê coisa parecida.

As "masmorras capixabas" são antigas, mas a denúncia teve que ser levada à ONU porque as organizações de defesa dos direitos humanos não conseguem providências do governo do Espirito Santo, nem do governador federal.  (fonte: Movimento Nacional dos Direitos Humanos)


Estas  questões levam-nos a uma triste realidade, a repetida Lei de Ricupero (ministro da Fazenda do governo Itamar Franco) :

O que é bom a gente assume, o que é ruim divide com os outros - esse parece ser o caso.

- O que é bom a gente mostra, o que é ruim esconde.

Antes que me perguntem: Lugar de bandido é a cadeia, mas nada que possa infligir direitos a humanidade e civilidade, dentro da lei e da ordem. Tenho minhas opiniões sobre a legislação penal, mas como não sou da área, guardo-as para mim.

Postar um comentário

2 Comentários

  1. Geraldo,

    Sempre esconderam tudo aquilo que fosse ruim. Você acha que eles iriam querer mostrar agora?

    Lembro-me quando cursava a faculdade de direito e uma professora disse, em sala de aula, que na época do acontecido no Carandirú ela trabalhava lá, e que mais de 300 pessoas morreram, mas foram anunciadas um pouco mais de 100 mortes...

    Vai continuar sendo sempre assim meu amigo.

    Isso é Brasil!

    Bjs.

    Rosana.

    ResponderExcluir
  2. Olá amigo Geraldo!
    Realmente o governo adora alterar números para mostrar que está bem. Isso vem de longe. :-)
    O grande objetivo de uma prisão é (ou deveria ser) a recuperação do indivíduo para o convívio social. E sem ter um mínimo de dignidade isto é impossível.
    Acho justo uma posição da ONU para chamar atenção ao problema, porém confesso que me irrita um pouco o fato de ela se isentar (ou mesmo se esconder) diante de diversas outras injustiças e problemas que não envolvem bandidos. Ou será que este problema é o mais grave no Brasil hoje e por isto ela precisa se posicionar urgente frente a ele?
    Achei o post excelente meu amigo, abre um debate muito interessante e trás grandes reflexões sobre temas interessantes.
    Forte abraço, Fernandez.

    ResponderExcluir

Obrigado por comentar!! Volte Sempre!!