Hinos patrióticos e realidades atuais


Independência ou Morte!, de Pedro Américo (óleo sobre tela, 1888).

Eu sei que hoje (07/09) é o dia da Independência do Brasil e me permiti colocar a pintura do Pedro Américo no alto deste artigo, tenho que ser patriota, idolatrar esta terra em que plantando tudo dá, fui obrigado (de fato) a aprender, além do hino pátrio, o hino da independência, do exército, marinha e aeronáutica, por mais incrível que pareça, no meu antigo curso primário, tinha o hino do Sesquicentenário da Independência. Isto porque fui alfabetizado nos "anos duros" da ditadura militar, anos da exaltação do patriotismo. Com certeza sabem o hino brasileiro : " Ouviram do Ipiranga..." , hoje o riacho ou córrego Ipiranga (foto ) demonstra bem o que ocorreu depois de 187 anos do brado forte e retumbante. Voltemos ao hino do sesquicentário da independência:


“Marco extraordinário
O Sesquicentenário da Independência!
Potência de amor e paz
Este Brasil faz coisas
Que ninguém imagina que faz.

É Dom Pedro I
É Dom Pedro do Grito
Esse grito de glória
Que a cor da história à vitória nos traz
Na mistura das raças
Na esperança que uniu
No imenso continente nossa gente, Brasil"


Agora ao hino da independência:

Já podeis, da Pátria filhos,
Ver contente a mãe gentil;
Já raiou a liberdade
No horizonte do Brasil.

Brava gente brasileira!
Longe vá... temor servil:
Ou ficar a pátria livre
Ou morrer pelo Brasil.

Os grilhões que nos forjava
Da perfídia astuto ardil...
Houve mão mais poderosa:
Zombou deles o Brasil.

Brava gente brasileira!
Longe vá... temor servil:
Ou ficar a pátria livre
Ou morrer pelo Brasil.

Não temais ímpias falanges,
Que apresentam face hostil;
Vossos peitos, vossos braços
São muralhas do Brasil.

Brava gente brasileira!
Longe vá... temor servil:
Ou ficar a pátria livre
Ou morrer pelo Brasil.

Parabéns, ó brasileiro,
Já, com garbo varonil,
Do universo entre as nações
Resplandece a do Brasil.

Brava gente brasileira!
Longe vá... temor servil:
Ou ficar a pátria livre
Ou morrer pelo Brasil.


Se sou patriota? Talvez este surto me ataque em Setembro, já que além do 07, tem no dia 20 a data máxima da minha terra gaúcha, o da Revolução Farroupilha. Fico pensando que naquela época passada, em 07 de Setembro de 1972, eu não era feliz? Sim,  era, porque mesmo forçado, aprendi com traquilidade os hinos, considero que já fazem parte de mim. Afinal amar a terra onde se vive não deve ser uma obrigação, mas claro que a realidade atual não se desenrola muito risonha. Temos uma desigualdade social, uma classe política que não (pelo menos a mim) nos representa com total eficiência.


Nesta terra, em plantando tudo dá? Se conseguires sobreviver a alta carga tributária e custos de produção cada vez mais elevados, será bem recompensado. Mas noticias como a abaixo citada no Relatório Global de Competividade 2007/2008 mostra o "abismo" que nos separa da eficiência competitiva:

BRASIL CAI EM RANKING DE COMPETITIVIDADE

País ocupa 72º lugar entre 131 países em lista elaborada pelo Fórum Econômico Mundial e liderada por EUA e Suíça; carga tributária do país é a pior entre os pesquisados; juro, burocracia, gastos do governo e educação também têm avaliação muito ruim .

Fazer o que hoje? Vá a parada na sua cidade ou então veja na tv as paradas realizadas no País inteiro. Pelo menos hoje esqueça que os impostos estão presentes no seu dia-a-dia e que o impede de ter sistema de saúde decente, rede de escolas públicas de alto padrão em todos os níveis, segurança pública eficiente, talvez alguma opção de lazer e cultura. Amanhã você pode acordar, respirando fumaça, pegando sistemas públicos de transporte super lotados, quem sabe na eleição do ano que vem alguma coisa mude?




 



Postar um comentário

0 Comentários