Gestão do Caos

Aprendi no Ensino Médio alguns conhecimentos que talvez nunca precisasse em utilizar na minha futura profissão de Administrador de Empresas, falo mais especificamente de uma lei, a terceira de Newton, que tem como principio que, a cada ação corresponde uma reação, de mesma intensidade e direção, porém com sentido oposto. Achei na época que todo aquele conteúdo servia apenas para mais um conjunto de conhecimentos gerais que devemos ter.

Foi assim também que pensei, quando no meu curso superior, estudamos em Matemática, elementos de derivadas e integrais. Tudo para preparar o profissional para seu futuro na profissão, e pessoalmente, achei interessante pensar em como a lei de Newton se aplicou em uma prática que era celebrada há muitos anos nas empresas: a terceirização. Foi avaliando como que as empresas lidavam com seus fornecedores de serviços, de setores considerados não estratégicos. Há uma década atrás, os executivos viam com simpatia, terceirizar por conta de reduzir tarefas nas empresas, incluindo ai o nevrálgico setor de TI.

Com o tempo, a reação veio e cobrou seu preço, com o aumento do número de contratos e os gestores acabaram por perder o controle que tinham sobre os processos, e até em casos extremos ter que criar estruturas dentro da organização para gerenciar o dia-a-dia destes fornecedores terceirizados.

A reação adversa que a contratação de múltiplos prestadores de serviços tem provocado nas organizações levam a uma dificuldade de garantir um controle integrado do fluxo de serviços terceirizados. A Revista CIO revela como as empresas conseguir fazer a gestão do caos deste emaranhado de ofertas, na reportagem os dois fatores mais importantes para vencer estes desafios são : Conhecimento Interno e Redução de Fornecedores.

Segundo a opinião de Antonio Almeida, diretor da consultoria A. T. Kearney (manifestada na Revista): "Precisa ter alguém dentro da empresa que consiga entender como funciona a solução e quais as alternativas do mercado. Caso, contrário, é como um leio que vai no mecânico e acaba trocando um monte de peças do veículo sem necessidade, por simples desconhecimento". Segundo o mesmo consultor , "Uma maneira de diminuir os problemas com gestão de múltiplos serviços é reduzir o número de fornecedores". Ele afirma que que as organizações precisam ter a certeza que, ao centralizar os serviços na mão de um só fornecedor, ele possa dar a mesma qualidade que obtinham antes, quandos os contratos estavam em mãos de provedores especializados.






Postar um comentário

2 Comentários

Obrigado por comentar!! Volte Sempre!!